» Notícias


09/08/2016
Faturamento das indústrias de materiais de construção têm trigésima queda seguida

O índice de julho da ABRAMAT - Associação Brasileira da Indústria dos Materiais de Construção - aponta que as indústrias de materiais de construção tiveram retração de 9% em seus faturamentos deflacionados, em comparação com julho de 2015. O resultado reflete a trigésima queda consecutiva nesta base de comparação.
 
Em relação a junho, porém foi observado um crescimento de 5,6%. O percentual, no entanto, não é suficiente para garantir que o setor está em retomada. Para Walter Cover, presidente da Abramat, "para mudar esse quadro de queda da atividade, é preciso garantir o incremento do crédito imobiliário, do crédito para reformas e uma estabilização no desemprego na economia".
 
 

TOTAL

% de Julho/16 comparado a Junho/16

% de Julho/16 comparado a Julho/15

Acumulado no ano

Acumulado 12 meses (Móvel)

Faturamento Deflacionado

5,6%

-9,0%

-13,3%

-15,1%

Emprego

-0,4%

-9,6%

-9,7%

-8,3%

 
 
As indústrias de materiais segmentados em base e acabamento também apresentaram variações negativas, de -11,9% e -4,8%, respectivamente, frente a julho de 2015. Já na comparação com junho de 2016, houve crescimento de 4,4% nas vendas de base e de 7,1% nas vendas de materiais de acabamento.
  
O nível de empregos nas indústrias de materiais de construção obteve queda. No mês, a retração é de 9,6% nos empregos em comparação a julho do ano passado.
  
Para os próximos meses, as projeções apontam para a continuidade das tendências de queda, convergindo para a projeção anual que é de 8% de queda comparado a 2015.
Fonte: Abramat