» Notícias


15/08/2016
Governo se reúne com empresários e anuncia medidas de incentivo ao setor

Representantes da Anamaco, e das Acomacs e Fecomacs de todo o Brasil participaram nesta quinta-feira, 11 de agosto, de um encontro de representantes do setor da Construção com o presidente interino, Michel Temer. O evento, que aconteceu no Palácio do Planalto, em Brasília, reuniu mais de 800 participantes de todos os segmentos do ciclo produtivo do setor, vindo de todos os 27 Estados brasileiros.
 

Durante o encontro, o presidente da Anamaco, Cláudio Conz, defendeu que a melhoria do ambiente econômico do país passa pelo setor e propôs um pacto ao governo: “Acredite na construção civil que nossa proposta é muito rápida na geração de emprego e renda. O crescimento do Brasil passa por tijolo, cimento e mão de obra. Com base nos últimos três meses, o setor tem a sinalização de que vai reverter a queda do ano passado com crescimento em torno de 5% em 2015”, discursou o presidente da Anamaco.

Já o presidente da Abramat (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção), Walter Cover, afirmou que a indústria do setor responde muito rápido quando medidas econômicas são tomadas de forma correta. “O setor emprega 13 milhões de pessoas, considerando empregos formais, informais e diretos. Tradicionalmente, quando a construção está bem ela emprega pessoas”, afirmou.

 

José Carlos Martins, presidente da CBIC, falou em nome das entidades dos demais segmentos da indústria e manifestou apoio de empresários e trabalhadores ao governo e às medidas propostas para que o Brasil recupere a credibilidade econômica. “A construção civil apoiará tudo o que favoreça a construção de um país melhor”, declarou.
 

Retomada de Obras e Minha Casa Minha Vida
 

Durante o encontro, o presidente interino, Michel Temer, anunciou a retomada de mais de 1.500 obras inacabadas, com valor para conclusão estimado entre R$ 500 mil e R$ 10 milhões, que devem custar ao governo federal R$ 1,8 bilhão. “São obras importantes para pequenas cidades do interior, são creches, são quadras de esporte (…). Na área da construção civil é onde mais se verifica a possibilidade da difusão do emprego. E nós sabemos, e devemos enfatizar, que emprego é o primeiro dos direitos sociais”, discursou.
 

Temer lembrou que o governo federal já vem adotando medidas para incentivar o setor e afirmou que os três Poderes devem manter o equilíbrio e trabalhar em harmonia, especialmente no caso de votações no Congresso Nacional. 
 

O presidente também anunciou o início da contratação de unidades habitacionais na faixa 1,5 do programa “Minha Casa Minha Vida”. Serão 40 mil novas moradias para atender famílias com renda de até R$ 2.350, com possibilidade de subsídio de até R$ 45 mil e de financiamento de imóveis  de até R$ 135 mil.
 

Presente ao evento, o ministro das Cidades, Bruno Araújo, reforçou que a conclusão dessas obras, no menor tempo possível, é fundamental para que o país retome o caminho do crescimento econômico. “O Minha Casa Minha Vida é uma conquista de toda a sociedade brasileira como um programa de Estado. Com essas ações, estamos ajudando a recuperar o Brasil de forma firme, numa relação de absoluta credibilidade mantida entre o Estado brasileiro e a sociedade que participa dessa recuperação”, declarou.
 

Para a faixa 1,5 do programa, serão destinados recursos de R$ 3,8 bilhões. Desse montante, R$ 1,4 bilhões serão subsidiados - dos quais R$ 1,26 bilhão pelo FGTS e R$ 140 milhões pelo Tesouro Nacional. Outros R$ 2,4 bilhões serão repisados por meio de financiamentos pelo FGTS.
 

Ainda na manha desta quinta-feira, foi anunciada a retomada das obras de construção de 10.609 unidades na faixa 1 do “Minha Casa Minha Vida”, que destina empreendimentos habitacionais a famílias com renda mensal brita de até R$ 1.800,00. "Em 2015, o governo já tinha retomado a contratação de 4,2 mil unidades e a ideia é que outras 35,3 mil unidades, que ainda estão paralisadas nessa faixa, sejam retomadas nos próximos 10 meses”, completou o ministro.
 

Participaram do evento de hoje o ministro do Trabalho e Previdência Social, Ronaldo Nogueira, o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo de Oliveira, o presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, além de demais representantes de outras entidades do setor, como o presidente da Abrafati (Associação Brasileira dos Fabricantes Tintas), Dilson Ferreira, o presidente da Anfacer, Antonio Carlos Kieling, e o presidente do Sinduscon SP (Sindicato da Construção), José Romeu Ferraz Neto, entre outros.

Para o presidente do Conselho Deliberativo da Anamaco, Marcos Atchabahian, o encontro desta quinta-feira foi de grande importância para o futuro do setor. "Reunimos aqui as maiores lideranças setoriais das cinco regiões do país, trouxemos as nossas reivindicações e pudemos, além de tudo, estreitar nosso diálogo com os membros do governo. O presidente da Caixa, Gilberto Occhi, por exemplo, fez questão de conversar conosco sobre o relançamento do Construcard e as medidas anunciadas nos últimos 60 dias e que devem beneficiar a nossa cadeia produtiva", declarou.

Pela Anamaco, além de Cláudio Conz e de Marcos Gabriel Atchabahian, participaram do encontro o vice-presidente da Acomac Bahia, Geraldo Cordeiro; o presidente de Honra, José Olavo Nogueira; os vice-presidente do Conselho Diretor: Guilherme Ferreira da Costa, Antonio Carlos de Aguiar e Ronaldo Sielichow; além de representantes de todas Acomacs e Fecomacs existentes no país, que formaram uma das maiores delegações do evento.